O Poder do Perdão

Postado por Ana Paula
12:12 - 28/04/2019

Você consegue verdadeiramente perdoar? Não é raro encontrar pessoas por aí machucadas e corroídas por dentro. Quantos você já viu sofrendo no seu Banco, remoendo coisas do passado que não conseguem superar. Você é um deles? Para esses casos, parece que o tempo nunca cura. Por um simples motivo: a ferida do rancor está sendo nutrida dia após dia, pelo julgamento e pela culpa e, por isso, nunca cicatriza. Shakespeare dizia que "guardar uma mágoa é como tomar um copo de veneno e torcer para que o seu agressor morra". Parece meio irracional, mas é como a maioria de nós agimos.

 

O problema é que os sentimentos negativos que nutrimos pelos outros resultam em doenças. Fato cientificamente comprovado. Aí fica a pergunta. Quem perde com essa história? Se você não quer atrair coisas ruins, liberte-se! O primeiro passo é querer. Sei que não é nada fácil. Dói abrir mão da razão, deixar de revidar. Mas acredite: o perdão é cura pra você. Funciona como uma dádiva, uma fonte de paz. Perdoe mesmo que ninguém peça. O ato de perdoar não depende de arrependimento alheio.

 

Por que se encher de orgulho para julgar o outro? Ao invés disso, invoque o sentimento mais puro, que é o amor. Tente compreender a intenção positiva do outro. Aceite que o ser humano é dual: acerta e erra o tempo todo.  Enxergue as pessoas como parte do seu ser e transforme intolerância em compaixão. Perceba que, nesse estágio, você já consegue perceber o erro de uma forma diferente. Será que não é uma oportunidade de aprendizado e crescimento pra você? 

 

Outro ponto relevante: perdoar não significa esquecer, mas mudar a forma como nos sentimos em relação ao acontecimento. Muitas vezes, é algo tão doloroso que precisamos perdoar várias vezes. Toda vez que lembramos daquilo, exercitamos o perdão e liberamos um pouco da mágoa de cada vez, no seu tempo. Perdoar também não implica em reconciliar. Você não precisa conviver com quem te fez mal. Mas deseje o bem, ore pela sua evolução. Perdoar é um sinal de força e coragem, jamais de fraqueza.

 

E falando nisso, a pergunta que não quer calar: como você tem lidado com os seus desacertos? Punindo-se? Pra que uma autocrítica tão elevada se você também é falível e limitado? Que tipo de amor próprio você nutre que não permite olhar pra si com benevolência? Auto perdoar-se não anula, em hipótese alguma, todas as suas qualidades. Ao contrário, é um ato de aceitação e de humildade. 

 

No lugar de remoer o passado, olhe pra frente, foque na mudança que VOCÊ pode fazer agora. Não importa o que aconteceu até ontem. Comece de novo. O hoje é sempre um novo dia, uma nova oportunidade, um renascimento. Lembre-se disso todos os dias, não apenas na Páscoa.

Recomendações para você