Só voa alto quem não tem medo de cair

Postado por Ana Paula
21:57 - 13/04/2019

Vamos falar hoje sobre o medo, essa característica inata do ser humano que está relacionada com o nosso instinto de sobrevivência, mas que muitas vezes nos paralisa e nos impede de alcançar os nossos sonhos.


Quem nunca vivenciou uma situação de suar frio, ficar com a boca seca, sentir falta de ar, perder a voz, ficar com o coração palpitando? Geralmente acontece a partir de situações que estimulam o estresse, como por exemplo, uma entrevista de emprego, uma necessidade de falar em público, uma prova ou uma situação que denote algum tipo de risco pra você, como altura, lugares fechados, escuro, barata, trânsito, o futuro.


Existem vários tipos de medos, mas quero focar aqui em um que considero limitante para a carreira profissional: o medo de fracassar. Geralmente, você coloca muitas expectativas na primeira tentativa e, quando não tem sucesso, desanima e desiste. Pode entrar em ação aquele sentimento de inadequação e incapacidade e o pavor de ser julgado, ridicularizado, humilhado. O problema é que, repetindo esse comportamento, você não evolui.


Você deve estar se perguntando. Ok, mas como eu faço pra superar esse medo? Primeiro, compreenda que o medo não é oposto de coragem. Pessoas corajosas também sentem medo. A diferença está na escolha. Diante do medo irracional, você decide paralisar ou enfrentar? É claro que não é algo que vai sumir de um dia para o outro, mas pode ser vencido, sim, gradualmente. O segredo é praticar. Comece tentando fazer coisas diferentes e desafiadoras, mas simples.  Lembre-se: só voa alto quem não tem medo de cair.

 

Vou dar um exemplo: se o seu medo é de falar em público e fracassar, treine sozinho na frente do espelho, apresente-se para alguém da sua família ou grave a sua apresentação para ver depois. Quanto mais você se expor ao medo, contando com a ajuda de pessoas em quem confia, aos poucos vai perceber que não existe nenhuma ameaça real ali.

 

O escritor americano Napoleon Hill dizia que os medos são apenas estados mentais. Quando não representam uma ameaça real, geralmente são fruto da criação da nossa mente, a partir de inseguranças, experiências de insucesso, de perda, de vergonha, de autoestima diminuída. E quanto mais você procrastina o enfrentamento, mais eles crescem, perturbam a sua alma e provocam um colapso.


Então, pra começar, reconheça seus medos e identifique a sua resposta emocional, como seu corpo reage. Anote tudo porque isso costuma ajudar a reorganizar a sua mente também. Depois, reflita: será que você não está exagerando nas reações? Será que não está focando demais nas suas fraquezas, deficiências, problemas e fracassos, reais ou imaginários, ao invés de pensar nas soluções?

Diante de uma oportunidade que tira você da zona de conforto, questione: E se eu não perder nada? E se valer a pena? E se for a melhor mudança da minha vida?


Uma outra dica é fazer modelagem, que é uma técnica da programação neurolinguística que consiste em observar como age uma pessoa que é bem sucedida naquilo que você deseja alcançar. Observe como ela lida com a mesma situação de medo e aprenda com ela. No mais, respire profundamente, de forma serena e tranquila porque isso pode ajudar nesse processo de cura. E se perceber que isso está prejudicando demais a sua vida, procure ajuda profissional. É preciso policiar a nossa mente, pois ela pode fabricar fantasmas assustadores. E tenho certeza de que ninguém aqui quer ser personagem de filme de terror.

Recomendações para você